"A essência do conhecimento consiste em aplicá-lo, uma vez possuído."
Confúcio

História e vida de D. Nuno Álvares Pereira

Nuno Alvares Pereira "Ora ouvireis, senhores, a história do melhor cavaleiro de Portugal, para que seus nobres feitos, como é razão, soem por todo o Mundo, e acordem em quem os leia cobiça de os imitar.”

em “Crónica do Condestável de Portugal”, autor anónimo do século XV

Trazemos-vos hoje dois livros, verdadeiras relíquias, que andam aqui na prateleira e que contam a vida de uma das mais sublimes figuras da História de Portugal, D. Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável. Foram adquiridos, imagine-se, numa feira do livro há uns anos em Díli, Timor Leste.

O primeiro é da autoria de Oliveira Martins e data de 1944 (6ª edição): A Vida de Nun’Álvares Pereira. A primeira edição é de 1893. Eça de Queiroz, em carta enviada ao autor em 1894 escreve sobre o livro:

“Está claro que o recebi, que lhe admirei o exterior, e que lhe saboreei o miolo. A minha primeira impressão, logo às primeiras páginas, foi de que estava no século XIV, e que vivia em Lisboa, em Valverde ou nas vielas da Sé, que andava misturado ao povoréu, que odiava a má barregã que enfeitiçara o nosso bom rei e que era um partidário do Mestre. Composição, estilo, etc., tudo isso me era indiferente. O que eu queria era que Nuno Álvares crescesse depressa e que o Mestre se declarasse, e que se salvasse o Reino! Creio que não se pode fazer maior elogio de um livro. A sua beleza está em não ser quási um livro, uma cousa impressa, mas uma grande realidade viva, em que nada é de papel e tudo de substância viva.”

A Vida Nuno1 A Vida Nuno2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A segunda obra é a “Crónica do Condestável de Portugal, por um autor anónimo do século XV e adaptada por Jaime Cortesão em 1937 (1ª edição). O que possuo é de 1961 (6ª edição). Jaime Cortesão escreve no prefácio:

“Em boa verdade, a Crónica do Condestável, na sua forma original, é pouco menos que ilegível para os leitores pouco versados no português da Idade Média. Mas a figura de Nun’Álvares possui tão grande interesse nacional e humano, e o pequeno livro tal relevo, como primeiro monumento da historiografia portuguesa, que dá-lo à estampa em linguagem acessível a todos os leitores constitui, sem dúvida, obra meritória.”

CronicaCondestavelPortugal CronicaCondestavel2

Façam a visita alguns alfarrabistas e ainda encontram estas obras. Ainda sobre a vida do Condestável podemos encontrar nas livrarias a mais recente biografia, “Vida e Obra de Dom Nuno Álvares Pereira”, pelas mãos da autora britânica G. Leslie Baker, uma das maiores estudiosas da vida deste ícone da nossa história e que, já em 1947 havia publicado a obra "O clarim de Nuno toca a alvorada".

image image

Boa leitura …

Imprima esta mensagem

1 comentário:

Anónimo disse...

posso saber por quanto comprou o livro a vida de nunálvares tenho um de 1944 6ª ediçao e gostaria de o vender. se puder responda para lolita27.pt@hotmail.com. agradeço